Estou ciente de que os dados fornecidos são exclusivamente para cadastro mencionado no formulário. Após finalização, os dados serão armazenados pela Deltec Contabilidade de forma segura, apenas com a finalidade de manter histórico de atividades realizadas e sem hipótese de transmissão a terceiros, conforme Lei nº. 13.709/2018 - Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD)
Para mais informações, você pode visitar nossa Política de Privacidade.
HÁ MAIS DE 40 ANOS NO MERCADO




Setor de serviços tem terceira alta consecutiva e avança 1,1% em julho


Na terceira alta consecutiva, o volume de serviços prestados no país cresceu 1,1% em julho de 2022, na comparação com o mês de junho. Com esse resultado, o setor está 8,9% acima do patamar de fevereiro de 2020, período pré-Covid-19. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada nesta terça-feira (13/09) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Três das cinco atividades pesquisadas tiveram crescimento de junho para julho, com destaque para os transportes (2,3%) e informação e comunicação (1,1%), que exerceram as principais influências positivas sobre o índice em julho. 

“Na área de transportes, os crescimentos mais expressivos ocorreram em concessionárias de rodovias, gestão de portos e terminais e transporte aéreo de passageiros em função das férias escolares em julho. Tem também o transporte de cargas avançando em julho. Em informação e comunicação, o crescimento foi liderado pelos serviços de tecnologia da informação que em julho alcançam o ponto mais alto de sua série histórica, iniciada em janeiro de 2011”, explicou o gerente da pesquisa, Rodrigo Lobo. 

A outra expansão do mês ficou com serviços prestados às famílias (0,6%), o quinto crescimento seguido, com ganho acumulado de 9,7% nesse período. Em sentido oposto, outros serviços (-4,2%) e serviços profissionais, administrativos e complementares (-1,1%) exerceram as influências negativas de julho.

O volume de serviços de 17 das 27 unidades da Federação cresceu na passagem de junho para julho. Os maiores impactos vieram de São Paulo (1,3%), Minas Gerais (1,9%), Santa Catarina (3,1%), Goiás (4,7%) e Pernambuco (4,0%). Já as principais influências negativas foram exercidas por Distrito Federal (-2,8%), Paraná (-1,2%) e Ceará (-2,5%). 

Transporte e turismo 


Em julho de 2022, o volume de transporte de passageiros no Brasil registrou expansão de 4,1% frente ao mês imediatamente anterior. Já o volume do transporte de cargas apontou expansão de 1,2% em julho de 2022. No acumulado do ano, o transporte de passageiros cresceu 41,0% frente a igual período de 2021, enquanto o de cargas avançou 13,4%.

O índice de atividades turísticas cresceu 1,5% em julho, após recuo de 1,7% no mês anterior. Mesmo com o avanço, o segmento de turismo ainda está 1,1% abaixo do patamar de fevereiro de 2020.

Crescimento no ano


No acumulado do ano, de janeiro a julho de 2022, frente a igual período do ano anterior, o setor de serviços cresceu 8,5%, com taxas positivas em quatro das cinco atividades de divulgação e crescimento em 67,5% dos 166 tipos de serviços investigados.

Entre os setores, a contribuição positiva mais importante veio de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio (13,8%). Os demais avanços vieram de serviços prestados às famílias (33,9%); de profissionais, administrativos e complementares (7,7%); e informação e comunicação (2,8%). A única taxa negativa veio de outros serviços (-5,3%).

A pesquisa


A Pesquisa Mensal de Serviços produz indicadores que permitem acompanhar o comportamento conjuntural do setor de serviços no país. É investigada a receita bruta de serviços nas empresas formalmente constituídas, com 20 ou mais pessoas ocupadas, que desempenham como principal atividade um serviço não financeiro, excluídas as áreas de saúde e educação.

Fonte: Gov.br | 14/09/2022